Biografia

Karina Barum

Karina Barum nasceu em Brasília- DF, no dia 11 de agosto, mas foi criada em Porto Alegre.

Desde pequena era ligada em artes de todas as formas e muito cedo, na sétima arte. Frequentava as sessões de Bergman, Godard, Visconti e Fellini desde pequena “Morte em Veneza me fascinou, não entendia, claro, a complexidade do roteiro mas ficava horas pensando naquelas imagens”

Sem formação acadêmica, começou a carreira de atriz em 1992. No musical "Os Menestréis" entrou na produção, pra logo fazer parte do elenco do musical, sob direção de Oswaldo Montenegro. Nesta época teve suas primeiras impressões sobre ser atriz, morando no próprio teatro Dias Gomes.

Entrou de corpo e alma na carreira de atriz, chegou a fazer um semestre de Celia Helena, mas vivia de teatro amador, mambembe. Entrou na companhia de teatro “Encena” viajando pelo interior da capital Paulista. “Dormíamos onde mandava o figurino, hora em academia de judô, hora em conventos de irmãs Franciscanas”.

Logo entrou para a companhia ‘Tantos & Tortos’ de Sergio Penna, hoje diretor de atores de vários longas-metragens. ”A companhia era composta de amigos e artistas ecléticos, hoje, artistas e amigos autênticos!” Olívia Genesi, Cris Miguel, Luciano Monson, Emerson Boy e André Namur.

Em 1992, mudou-se para o Rio de Janeiro e fez sua estreia em novelas "7-4.5 Uma Onda no Ar" dirigida por Cécil Thiré. Fez a personagem Tuca, filha do dono da pousada, o cantor Jerry Adriani. . Nesta novela atuou ao lado da irmã Vanessa Barum. Estavam no elenco Marcelo Saback, Letícia Sabatela, Angelo Antônio, Murilo Rosa, pessoas que até hoje me lembro com muito carinho".

Nesta época fez um teste que dobrava a esquina, para um filme do diretor Walter Lima Jr. uma co-produção com os EUA, filme falado em inglês. Karina fez o teste para umas personagens de bruxa que havia no roteiro mas saiu com o papel da protagonista Benedicta do filme "O Monge e a Filha do Carrasco" Filme de época que foi rodado em Ouro Preto -MG. “Benedicta era out of society, essa era a grande poesia dela".

Seu primeiro convite da rede Globo foi feito por Wolf Maia para participar de "Malhação" Com a personagem Letícia. “Foi um contato muito importante para mim".

Logo veio o convite para participar da novela “Torre de Babel” de Silvio de Abreu para interpretar a doce Shirley “ Quando recebi este convite do, Carlos Manga, Denise Saracenni e do Silvio de Abreu, para representar uma manquinha, fiquei tão emocionada que corri pra casa assistir “Feios , Sujos e Malvados” do Ettore Scola! rs..”

Com o sucesso de Shirley veio o convite para protagonizar "Louca Paixão" dirigida por Jacques Lagoa, Rodolfo Silot e direção geral de Paulo Vallone e ao lado de Maurício Mattar. Realização da Rede Record novela adaptada por Yves do Mumont da primeira versão de 1963 protagonizada por Glória Menezes e Tarcísio Meira. Com Suzi Rêgo, Altair Lima, Gracindo Jr, Eliete Cigarini, Rodrigo Veronese, Cássia Linhares.

Após Shirley entra na pele da campeã de apartação Julia no filme dirigido, escrito e produzido por Tânia Lamarca “Buena Sorte”que conta a história do couboy Edgar o universo dos rodeios do interior de São Paulo. No elenco: Marcos Palmeira, Gracindo Jr., Tadeu Aguiar, Silvia Buarque, Antônio Gonzalez, Katia Bronstein, Caio Junqueira e Paulo Reis.

A peça "SUBURBIA" de Eric Bogosian, dirigida por Franscisco Medeiros e adaptação de Marcelo Rubens Paiva foi um sucesso, ganhou todos os prêmios e casa lotada. “Era um elenco extraordinário, Rosana Seligman, Beto Magnani, Bárbara Paz, Luciano Gatti, Marcos Damigo, Rita Martins, André Custódio e Júlio Pompeu, com a regência do maravilhoso Francisco Medeiros”.

Nesta época recebeu convite de Walter Avancinni para fazer um papel na novela de Walcyr Carrasco . “Fui para a reunião com o visual de Bee-bee, personagem do Suburbia, magricela, pálida, cabelo amarelo na nuca e sobrancelhas invisíveis, mas Avancinni era radical, ele me deu a cabocla Tiburcina!” Com o falecimento de Walter Avancinni, Roberto Talma entra na direção na novela A Padroeira.

Com o longa-metragem “O Quinze”do primeiro romance de Raquel de Queiroz, mergulha nos romances de Raquel de Queiroz e no sertão brasileiro para compor Conceição, personagem título da história. “Conceição era como Raquel de Queiroz, personalidade forte e grande coração.” Com Juan Alba, Soya, Jurandir Oliveira. Produzido por Letícia Menescal e dirigido por Jurandir Oliveira.

De volta aos palcos entra para a peça "O Mistério de Gioconda" dirigida por Bibi Ferreira e escrita por Paulo Guarnieri, Hérika de Assis e Carlos Mendes. “ Fiz família neste elenco com Elianna Gutmann, Milton Levy, Flávio Guarnieri e Ariel Mouche e meus amigos eternos Paulo e Erika”.

Em 2004 entra para a novela “Esmeralda” onde ganha um número incrível de fãs, pela personagem Graziela que vive um amor conturbado com o peão Adrian, interpretado por Daniel Andrade. Elenco formado por Bianca Castanho, Claudinho Lins, Lucinha Lins, Tânia Bondezan, Paulo Cézar Grande entre outros e dirigida por Henrique Martins, Jacques Lagoa e Luiz Antônio Piá.

“De Alma Lavada” de Sérgio Roveri e direção de Alberto Guzik foi sua primeira produção teatral. Dividia cena com os colegas Patrícia Vilela, Fábio Penna e participação especial de Reginaldo Cruz.

Embarca na sua segunda produção, no curta-metragem “3 Pedras” junto com amigos Domingos Meira, Paulo Furtado, Talita de Castro, Everton de Castro, Cintia Di Giorgio. “Foi uma produção em conjunto, até a direção foi conjunta com nossa diretora de atores Cintia di Giorgio” “Os personagens eram o soldado, o pescador, a mulher da cabana e a pintora cega".

Após 2006 começa uma sucessão de comédias, “Lolitas” recebendo elogios da crítica, pela sua despudorada alcóolatra Lulu. No elenco: Júlio Rocha, Ana Saab, Cibele Dorsa, Anna Claudiah Vidal e Ana Paula Vieira, ”As Mentiras que os Homens Contam” de Luiz Fernando Veríssimo adaptada por Marcelo rubens Paiva e direção de Darson Ribeiro. Com Victor Wagner, Sergio Lelys, Bruno Sciuto, Richard Vieira e Viviane Alfano, “Herótica, cartilha feminina para homens machos” escrita e dirigida por Darson Ribeiro. No elenco: Darson Ribeiro, Ina de Carvalho e Marcia Manfredini, “Como Monitorar um Homem” de Mirian Palma. No elenco contracena com Mirian Palma e Victor Wagner.

Em 2010 estreia na direção com a comédia teatral “Mulher Burra” com Carla Araújo, Daniela Dams e Ligia Hsu no primeiro elenco. E na segunda temporada com Carla Araújo, Fernanda Hartmann e Júlia Cruz.

Entra na direção de curta com “Parada Solicitada” conclusão da Oficina de Cinema que ministra em São Paulo.

E em 2011, volta aos palcos com “Jamais Seremos tão Jovens” direção de Kiko Jaes. No elenco da primeira temporada com Gustavo Haddad e Daniel Alvim. Segunda temporada com Ralf Mazza e João Baldasserini no elenco.

Em 2012 filma o longa-metragem “A Palavra” de Guilherme de Almeida Prado, estreia em 2014. Interpreta Azuba e também faz uma pequena participação na pele da enfermeira Miriã. A históra se passa no nordeste contemporâneo mas com referências a história do antigo testamento. Elenco: Tuca Andrada, Regina Remencius, Luciano Zafir, Lara Córdula, Oscar Magrini, Jonnhas Oliva. Produzido por Zita Oliveira da Anjo Luz Filmes. "Trabalhar com Guilherme tem sido uma grande alegria pra mim".